quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Intimidade

A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. 1Cor2:4-5

Eu já me peguei falando de um Deus histórico, ou ainda o Deus dos outros (aquela velha história de "o Deus de Abraão, Isaque e Jacó"). Isso me faz lembrar um cidadão chamado Jó. Até ter uma experiência pessoal com Deus, ele só O conhecia de ouvir falar. Depois da experiência, passou a conhecê-lO por andar com Ele. O que é interessante é que Jó, dentre os da sua casa, era o mais temente, mais sedento, a ponto de oferecer culto a Deus por cada um de seus filhos. E isso não fez dele um homem íntimo com Deus. Deus o conhecia, pq atestou sua fidelidade ao inimigo antes mesmo de prová-la. Jó conhecia a Deus pq confiou no Senhor durante sua angústia (Eu sei que o meu Redentor vive). Entretanto Jó celebrou muito mais sua nova vida em Deus do que a antiga.

O que me constrange é saber que muitos de nós, muitas vezes, por muito tempo, somos assim... Vivemos ouvindo falar de Deus, fazendo o que nos ensinam a fazer, orar, jejuar, ler a Bíblia, falar de Deus aos outros... Pra ser sincero, às vezes nem isso fazemos... Enfim, seguimos a cartilha...

Mas já não fazemos isso com tantas outras coisas?! Aqueles que são fãs de algum artista vestem as mesmas roupas; cantam, tocam e dançam da mesma maneira; sabem o que acontece com a vida do artista, os porquês e tudo o mais... E qual intimidade têm com eles?! Nenhuma, até que os encontrem... DaE os 5 minutos de intimidade surgem como num passe de mágica, e o que sobra é um autógrafo guardado a 7 chaves que vai servir para entusiasmar aquelas conversas entre amigos... Falando sério, não dá pra ser íntimo de alguém até vivermos com esse alguém...

Voltando a nós, como cristãos, servos e amigos de Deus... Que valor vamos dar à semente que lançamos nos corações das pessoas sem a mínima intimidade com o Senhor? Quando pregamos (seja discursando ou ministrando louvor), não estamos contando histórias nem apresentando um jornal... Estamos apresentando uma mudança de vida, ou uma nova vida para aqueles que já não a têm mais; estamos lançando uma semente que deve cair em solo fértil... MAS A SEMENTE TEM QUE SER FÉRTIL TAMBÉM... As dificuldades dos solos que encontramos (pedregulhos, espinhos, corvos, etc) já são muitas; pior serão se a semente que lançamos estiver seca e desnutrida, ou ainda, plantada sem cuidado...

Nossa semente, nossa pregação, nossa ministração será boa semente e vai gerar árvores frondosas, filhos de Deus com fé de mover montanhas, quando vier de um coração que tem comunhão com o Pai (Deus), que está ligado na videira (Jesus), que é lançada pelo poder e tempo daquele que convence o homem do pecado, da justiça e do juízo (Espírito Santo)...

O Senhor nos chama de servos amados, filhos e amigos... O servo OBEDECE ao Senhor; o filho VIVE, APRENDE, CRESCE e SE PARECE com o Pai, DEPENDE do Pai; e o amigo ANDA, ACOMPANHA e COMPARTILHA EXPERIÊNCIAS com o amigo... Dá pra ser tudo isso de longe?! Não mesmo... Por isso é que dizemos ao Senhor: Draw me close to You, never let me go... (Leva-me pra perto de Ti, nunca me deixe ir...)

Com os ouvidos eu ouvira falar de ti; mas agora te vêem os meus olhos. Jó 42:5
Serve pra mim e pra vc... Deus nos abençoe!
Mac
Postar um comentário