quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

10 coisas que você nunca deve fazer como consultor

Por Jack Wallen, TechRepublic

1. Ridicularizar o trabalho de outro consultor
Não há nada mais antiprofissional do que zombar do trabalho de outras pessoas. Ok, os técnicos podem ter cometido alguns erros grosseiros antes de você... Ou não?! Talvez haja uma razão para o que eles fizeram. Nunca se sabe. Então, é melhor fazer tudo direitinho e deixar os comentários para você mesmo. Dizer coisas do tipo "Bem, eu nunca teria feito as coisas dessa maneira!", ou "Com certeza, o técnico antes de mim fez um trabalho péssimo nessa máquina!" não faz você parecer melhor. Na verdade, só faz você parecer amador e/ou malicioso. Faça o seu trabalho da melhor maneira possível e deixe os comentários no modo "offline".

2. Fazer negócios que você não está autorizado a fazer
Se você trabalha para uma consultoria, você sabe que existem canais para os clientes fazerem pedidos de hardware ou solicitar serviços. É claro que, se você tem tempo e eles precisam de mais de um problema resolvido, talvez seja seguro fazer isso - uma vez que eles estejam sendo cobrados nos valores regulares. Mas quando o assunto é hardware, deixe os clientes solicitarem seus pedidos pelos canais regulares. Não saia informando preços e taxas sobre os quais você não está 100% certo. Se você imagina que um cliente vai solicitar um orçamento, tenha uma lista de preços com você ou lhe dê o número apropriado para eles ligarem.

3. Pegar atalhos (fazer "quebra-galhos")
A última coisa que você quer fazer é fazer um "quebra-galho" que não vai durar muito tempo. Não tem problema em "usar um band-aid" onde você sabe que vai voltar mais tarde para uma correção permanente. Mas, eventualmente, esses "quebra-galhos" vão dar problema e vão precisar de uma atenção especial. E o momento da falha é desconhecido. Pode ser no minuto seguinte à sua saída ou meses depois. Esta não é uma possibilidade a ser considerada. Isto frustra o cliente e acaba com a sua imagem.

4. Horas de trabalho gastas "socializando"
Certifique-se de cobrar o cliente pelo tempo em que você realmente trabalhou. Isso pode ser complicado se os clientes ou os funcionários deles são seus amigos. Quando você pega um trabalho assim, você sabe que haverá um período de socialização, especialmente assim que você chega no local. Não cobre o cliente por este período. Comece a cobrar o cliente pelo momento em que você começa a trabalhar de verdade, e não pelo bate-papo sobre o jogo de ontem à noite, um encontro, ou sobre The Big Bang Theory (ou tudo junto).

5. Agir como se os funcionários estivessem atrapalhando você
Você está lá para servir àqueles funcionários, os quais podem ou não conseguir trabalhar enquanto você está fazendo o seu trabalho. Na verdade, você é quem está atrapalhando. Mas eles entendem que você tem um trabalho a fazer e, na maioria das vezes, respeitam isso. Somente quando você começa a agir como se eles estivessem no seu caminho é que as coisas começam a ficar tensas. Mesmo que você esteja trabalhando num local pequeno, lembre-se de que você é o invasor - e não eles.

6. Flertar
Não importa o quão bonitas, lindas, sexy ou bacanas as pessoas sejam, não comece a flertar com elas enquanto você estiver trabalhando. Você está lá para fazer um trabalho e fazê-lo corretamente. Nada pode atrapalhar seu trabalho mais rapidamente do que quando a sua mente está sendo massacrada pela sua libido. E além do mais, nunca se sabe quando a linha entre o flerte e o assédio será confundida. Você NÃO quer uma ação de assédio sexual contra você e sua empresa. Se você sente um forte desejo de manter contato com alguém do trabalho, passe seu número de telefone e peça para ela te ligar.

7. Entrar em discussões políticas ou religiosas
Realmente, há pouco o que acrescentar a este tópico. Todos nós sabemos que as últimas coisas que você quer discutir no trabalho são política e religião. Não importa quão fortes sejam suas convicções, não mexa com este leão. Se você o fizer, provavelmente vai se arrepender.

8. Ir embora sem explicar o que fez
Não pense que você mexeu nos computadores das pessoas e elas nem vão notar a diferença. Se os "donos" dos computadores estiverem por lá, você deve avisá-los de quaisquer mudanças que você fez e que podem afetá-los. Não importa quão pequenas elas sejam. Nunca se sabe o nível de competência deles, logo você não pode estar certo do quanto uma pequena mudança pode deixá-los na mão. Isso é especialmente verdade quando você precisa fazer algo um pouco além do que aquilo que foi contratado.

9. Não documentar
A documentação é o que quase sempre vem por último na cabeça de um consultor. Entretanto, deveria ser um dos primeiros pensamentos. A documentação sempre deixa o seu trabalho mais fácil. Quando você volta, não precisa tentar ficar lembrando o que fez da última vez. Documente, mapeie, desenhe - faça o que for preciso para que você recomece exatamente de onde parou na última vez.

10. Recusar-se a ouvir as necessidades dos funcionários
É inevitável que, quando você estiver trabalhando, os funcionários venham falar com você. Em boa parte das vezes, eles estarão fascinados com o que você está fazendo. Em alguns momentos, eles pensarão que sabem mais do que você e vão querer lhe ajudar. Mas dentro dessa confusão, um deles pode mencionar algo que você precisa ouvir. Alguém pode conhecer um problema pequeno que é a causa principal de um outro grande problema. Ou simplesmente alguém pode ter um problema que pode ser resolvido (e cobrado). Abra bem os seus ouvidos e nunca deixe os funcionários se sentirem como se o que eles dizem não fosse importante (mesmo que não seja).
Postar um comentário