quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Como empreender enquanto está empregado?

Por Christian Barbosa - blog Senhor do Seu Tempo - Você S/A
O Brasil finalmente acordou para o empreendedorismo! A onda de startups, fundos de capital de risco, gente falando sobre o assunto, finalmente decolou. Desde que comecei a falar de empreendedorismo, em 2001, pelo Empretec, nunca vi um momento tão propício como agora para empreender.
Nesse post, vou focar nos profissionais que querem empreender, mas ainda não tem condições de largar seu emprego atual, ou até por opção, preferem manter a segurança do emprego formal e dar os primeiros passos bem devagar no caminho do empreendedorismo.

1 – Você está realmente preparado?
Empreender não é simples, não é sorte, não é carisma. É dedicação, transpiração, persistência e paixão. Empreender não é para todos, é apenas mais um caminho. A grande maioria (chutando uns 85%) dos empreendedores, nunca chegará a ganhar o que um CEO de uma grande empresa ganharia e com um risco menor. É ilusão achar que todo empreendedor fica rico, viaja três vezes por ano para o exterior, tem tempo para tudo que ele quer. A realidade na prática, é bem diferente.
Se você realmente quer ser “empreendedor funcionário” prepare-se para uma jornada de trabalho de 12 horas no mínimo (8h de funcionário e no mínimo 4 horas de empreendedor). Mais do que nunca você vai precisar de gestão de tempo e produtividade, ou estará no caminho do infarto!

2 – Limite seus papéis por um tempo
Por mais que você queria ser voluntário, fazer um curso sobre vinho, viajar pela Europa, dependendo do tempo ao papel de empreendedor, realizar essas outras atividades será impossível, ou no mínimo, frustrante e cansativo.
Não quero dizer que você não deva ter tempo para você e coisas que te relaxem, muito pelo contrário, elas são essenciais para manter sua energia e disposição. Estou querendo dizer que não dá para fabricar um dia de 30 horas! Vai ter de ser seletivo, limitar, pelo menos no início com esses “pequenos prazeres”.
O importante é colocar um prazo para esse limite (6 meses ~ 1 ano), ou poderá correr o risco de viver tão afogada no próprio negócio que deixa de lado sua vida. Empreender é apenas um caminho, para realizar seus sonhos e ter uma vida com mais qualidade, se isso não está acontecendo, é o momento de rever esse papel.

3 – Automatize ao Máximo a Empresa
O tipo de negócio que vai empreender vai ajudar ou prejudicar em muito sua estratégia. Quanto mais seu negócio puder estar no “piloto automático”, melhor. E isso deve ser feito desde o primeiro dia, não precisa esperar a empresa crescer e ter mais funcionários para criar bons padrões de funcionamento.
Vamos supor que você vai vender objetos de decoração na Internet, da compra no fornecedor até a entrega no cliente, quanto mais o sistema puder te ajudar melhor. Nesse caso específico, existem diversos sites com sistemas de e-commerce que fazem isso com extrema facilidade.
Esse tipo de negócio é bem diferente de, por exemplo, vender doces finos para casamento com a receita secreta da sua tataravó. Nesse caso você vai precisar colocar sua barriga no fogão e perder longas horas na produção. Não é impossível, mas é tudo mais complexo nesse caso.
Pense em negócios que possam ser automatizados, que você possa gerenciar a distância com mais facilidade e que exijam um nível menor de envolvimento no dia-a-dia.

4 – Reforce seu Planejamento Pessoal
Quanto mais você planejar a sua vida em todos os contextos, melhor! Isso significa que você tenha um planejamento que permita sua performance na empresa ser excepcional, não pode deixar a peteca cair no seu trabalho! Ter uma jornada produtiva ajuda você a sair com mais disposição para enfrentar sua vida empreendedora.

Mais do que nunca vou recomendar que você planeje sua semana, conforme detalho na metodologia Triad e faça o planejamento mensal, que ajuda a ter uma visão maior do todo e permite prever situações de urgências com maior antecedência.

Vale também a dica de centralizar tudo o que você precisa executar em uma ferramenta online! Claro que o Neotriad é uma excelente opção, mas tem o meu concorrente BaseCamp que também manda muito bem!

5 – Compartilhe a Jornada
Envolva sua família no processo, elabore planos em conjunto, distribua as responsabilidades, faça a esposa ou o marido participarem do negócio. Se a família estiver por perto, tudo vai ficar mais fácil, além de que esse tempo partilhado pode ser muito gratificante.
Outra opção é ter um sócio, mas selecione muito bem, não é porque é seu amigo, que será um bom sócio! No que ele vai ajudar? Como vão dividir os lucros? Como será o investimento? Quanto cada um trabalha? Se der errado, como será a saída? Essas perguntas precisam estar respondidas antes de começar, depois se der errado, é briga na certa!
Postar um comentário