quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

MAC, o explorador

A minha linda está há alguns meses com umas sensações esquisitas... Em Manaus, de todos os médicos, terapêutas e exames que ela fez, só dois diagnósticos: Uma lordose cervical e excesso de peso. Por via das dúvidas, fomos ao Hospital Central da Aeronáutica aqui no RJ para um ponto de vista diferente... Mesmo diagnóstico... Sendo assim, ficamos tranquilos pq é só fazermos um pouco de exercício e pronto, tudo volta ao normal... Aproveitando que estávamos na Tijuca, arriscamos um passeio por Copacabana e o que viesse junto... Muito bom! Apesar da recepção calorosa e tudo de bonito que já tinha visto, a viagem começou a ficar emocionante hoje...



Fomos para a famosa Av Atlantica... Bem, nossa rota era shopping Rio-Sul e o Pão de Açúcar... No caminho vimos o Museu de Ciências da Terra, a UERJ, vários prédios, dentre eles o Copacabana Palace... Muito legal ver tudo isso, mas devagar estou me conscientizando de uma coisa... O RJ é uma cidade velha... Praticamente todas as construções são antigas, amontoadas, com caixas de ar-condicionado perto do chão... Falta espaço pra coisas novas... Foi por isso (e outras coisas tb, claro) que foram surgindo as comunidades... E haja comunidade!!!

Bem, quem conhece o Rio vai entender o que eu vou tentar dizer aqui (eu ainda não entendo, só lembro mesmo das placas)...
Tínhamos que entrar no shopping Rio-Sul pra almoçar... O Cleber errou a entrada... Bastava fazer um retorno e tava tudo certo... Ao invés de voltar pra Av Atlantica, ele pegou o caminho pro Jardim Botânico... DaE eu fui entender essa história de tudo longe, de não dá pra sair sem conhecer o caminho... Caracas, pense numa volta!!! Pouts!!! E o pior, o Cleber tava seguindo o rumo... Em cada esquina que passávamos, tínhamos que olhar pra saber se dava pra entrar, se dava na Atlantica... Depois de pegar alguns vários semáforos... Voltamos e entramos no Rio-Sul... Shopping bacana... 4 andares... Teto baixo... Muita gente, muita gente mesmo... E a mãe da Nahyr dizendo que estava em baixa temporada, coisa e tal...



Almoçamos e tocamos para o Sugar Loaf... euhauhheuauheauhe... Pão de Açúcar mesmo... 3min de fila e tcharam!!! Não aceitam Maestro... Só Visa Electron... uhaheuhaehuae... Parabéns, Marco... Vai lá no outro lado da rua, no caixa eletrônico do Itaú tirar dinheiro... auhehuaheuauhehuae... E é claro, espera o cara que está lá dentro pagar as contas de água, luz, telefone, gás, dele e do resto da família... Eu e o Cleber parecíamos dois figuras... Sérios, olhando pro lado... Esperando o bendito terminar o dinheiro do caixa... auheuhauheuhaea... Bem, os 35 reais por pessoa (fomos eu e minha linda esposa, é claro) valeram a pena... Valeram o cocar inteiro! Cara, Deus é um artista mesmo e deixou uma belíssima obra de arte aqui no RJ... O bondinho não tem nada de mais... Só gente mesmo... Mas a vista que tivemos lá em cima, nada paga, nem as fotos que tiramos... Ver tudo ali de cima, a cidade fervendo lá embaixo, um vento gostoso demais, o Instituto Militar de Engenharia, o aeroporto Santos Dumont, o forte de Copacabana, barcos ancorados na baia, a ponte Rio-Niterói... Ufa... Muita coisa bonita pra se ver...







Fomos e voltamos...

A volta foi pela orla, tive outras visões no mínimo impressionantes... Pegamos a Oscar Niemeyer e passamos pela comunidade do Vidigal, decorei direitinho a entrada, pra nunca entrar por lá... E em seguida, a Rocinha... Se vc me perguntar hoje o que assusta na Rocinha é a numerosidade... Trocentas casas amontoadas naquela montanha, desde o pé até os pontos mais altos... Foi outra entrada que eu decorei direitinho, e bem decorado... Depois a vida continua e traz aquela placa: Sorria, vc está na Barra! auuheahueuhaueuhaeuhae...

Foi um longo trajeto pela Av Lúcio Costa (Sernambetiba), cheio de coisa bonita pra se ver... Prédios bem acabados, alguns grandes, a maioria pequenos com no máximo 3 andares... Muito legal... Várias placas de "vende-se" (e eu falando pra Nahyr "olha amor, vende-se")... Kite Surf Club, Bola de Neve Church, vários instrutores de surf (será que me arrisco?) ehuauhehuaehuae...

Numa paradinha para comprar pão, aquela vontade me invadiu e não pude resistir: - Amor, tem água de côco? (segundo a Nahyr, na beira da praia, só um leso pra perguntar isso... auhehauehuahue... Verdade!)



Seguimos um pouco mais e paramos na praia da Macumba para tomar o tal côco... Conversa vai, conversa vem, a água acaba, parte-se o côco, come-se o côco, mais fotos e o mormaço nos vence... Vamos pra casa comer pão com mortadela e Coca Zero!

Chegamos, lanchamos, conversamos, jantamos, vimos Sandy e Jr se despedindo (DE NOVO!?!?!?!), jogamos Need for Speed Carbon e dormimos!
Postar um comentário